Férias com crianças

As férias podem ser divertidas sem estourar seu orçamento! Veja algumas dicas de como se divertir com os pequenos quando a grana está curta

A chegada das férias deixa crianças e pais inquietos. Elas à procura de diversão. Eles à procura de economia. É preciso se planejar previamente e pensar em programas divertidos e econômicos. “Fazer uma programação e um planejamento financeiro é recomendável em qualquer situação.  Decidir na última hora nunca é bom”, diz o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

As crianças querem brincar, se divertir e, muitas vezes, algo bem simples pode ser muito mais lúdico e interessante que um brinquedo caro. Ou seja, não é preciso sequer sair de casa!

“É possível se divertir com as crianças sem que isso necessariamente gere custos. Basta alguma criatividade e disposição por parte dos pais para propor brincadeiras e atividades. Há diversas páginas nas redes sociais, blogs e sites que ajudam nessa tarefa, dando alguma inspiração do que fazer com os pequenos sem nenhum gasto”, aconselha Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Há opções de programas, inclusive, para quem quer sair de casa. “Brincadeiras ao ar livre, um picnic, um passeio pela mata, por um parque. Basta usar a imaginação que tudo fica divertido”, diz Vignoli.

Está difícil se concentrar para planejar tudo isso? Conte com as crianças para bolar as atividades e fazer pesquisas. Quanto mais envolvidos, mais eles se divertem e também aprendem sobre o custo das coisas!

O que fazer nas férias com crianças?

Selecionamos algumas dicas para você curtir muito as férias com crianças, gastando pouco e se divertindo muito:

– Use a criatividade na hora de sugerir passeios diferentes para as crianças. Lembre-se que o foco é a diversão dos pequenos, então mesmo que seja algo simples – como ir brincar na casa de um amiguinho ou de um primo – pode ser um programa bem legal para o seu filho.

– Leve os pequenos para um parque que tenha bastante brinquedos e atividades ao ar livre, para curtirem o verão. Além de gratuitos, parques sempre possibilitam boa interação com a natureza. Em São Paulo, boas opções são o Parque do Ibirapuera, Horto Florestal e Parque da Aclimação. Se estiver em Belo Horizonte, vale a pena curtir o Parque das Mangabeiras. Em Curitiba, o Passeio Público, o Bosque do Alemão e o Passaúna contam com atividades diferentes.

– Mora na praia ou vai visitar algum parente no litoral? Aproveite para ir com as crianças curtir o sol e o mar! Seja em Salvador, Rio de Janeiro, Santos ou Recife, um dia na praia é sempre garantia de diversão e muitas brincadeiras – leve água, suco e algum lanche para não gastar muito em barracas de praia, que costumam ficar mais careiras nessa época do ano.

– Brinquedos custam caro e muitos se deterioram rápido. Já pensou em orientar seu filho a construir seus próprios brinquedos? É possível e é uma ótima oportunidade para reciclar materiais, estimular a criatividade e só o fato de fazer o brinquedo já se torna uma grande diversão.

– Busque oficinas gratuitas de jogos, brincadeiras e contação de histórias. Algumas bibliotecas, livrarias e unidades da rede Sesc (presente em diversas cidades do país) promovem este tipo de atividade lúdica e gratuita durante o período de férias.

– Vai um filminho aí? As redes de cinema preparam estreias especiais para o público infantil no mês de férias. E sabe o que é mais legal? Há valores promocionais para as matinês, sessão materna ou sessão família. Veja se os cinemas da sua cidade promovem alguma promoção assim e vá curtir um filme com seu filho pagando menos!  Vale dar uma olhada nos sites das empresas antes de ir. Para evitar que a criança peça doces e pipoca, que custam caríssimo nesses locais, leve lanchinhos na bolsa.

– Planeje um lanche para seus filhos e os amiguinhos deles. Um piquenique para levar em parque, de repente, e estimule os pequenos a ajudarem na preparação. Escolher o cardápio, separar os ingredientes e preparar o lanche pode ser uma brincadeira bem divertida e ainda ser um bom aprendizado.

– Use aqueles papéis de rascunho da sua casa e incentive os pequenos a soltarem a imaginação para desenhar e pintar. Veja o material que já você já tenha em casa, pode ser guache, giz de cera, lápis de colorir… O importante é estimular a criatividade da criança. Você também pode imprimir desenhos para eles colorirem, ligarem os pontos e caçarem palavras.

– Organize um roteiro cultural em sua cidade. Durante esta época, vários centros culturais promovem atividades específicas para a garotada, inclusive, exposições de arte gratuitas. Há shoppings centers que também criam espaços temáticos com brinquedos e monitores no período de férias e é possível também encontrar teatros infantis com preços bem baratinhos. “Nesse caso, se as crianças forem maiorzinhas, uma ideia legal é estipular previamente o valor que cada uma poderá gastar e já dar o dinheiro a elas. Assim, seu filho terá, por exemplo, uma nota de 10 reais para usar da forma como achar melhor ao longo do passeio. É um bom exercício de educação financeira. Agora, se forem menores, a dica é evitar locais em que a oferta de produtos é muito grande e apelativa”, sugere Marcela.

– Quer por o pé na estrada? Dá para curtir as férias viajando para casa de parentes ou de amigos. A criançada adora passar um tempo com os avós e as tias e, se no lugar tiver outras crianças, primos e vizinhos, melhor ainda! É uma viagem em que você economiza o valor da hospedagem e ainda promove a interação da criança com a família e com amigos. “Uma ideia é deixar os destinos mais famosos e consequentemente mais caros para outras épocas do ano. Nos períodos de alta temporada vale procurar destinos alternativos – o Brasil é muito grande e muitas vezes as pessoas acabam ficando focadas nas cidades famosas, esquecendo-se de que há muitas opções alternativas e também atrativas. Outra ideia para economizar é hospedar-se em AirBnb”, diz Marcela.

– Use sua imaginação para promover brincadeiras lúdicas, como pular corda, montar quebra-cabeças, esconde-esconde, entre outras. Lembre-se que não é o brinquedo mais caro que faz uma atividade ser divertida, mas o quão divertida é a brincadeira em si. Pode ser que seu filho não conheça algumas brincadeiras da sua época e as ache bem legais.