PRINCIPAIS MEDIDAS DE PREVENÇÃO AO CORONAVÍRUS

Com base na evolução dos casos no Brasil, até o momento, estima-se que, sem a adoção das medidas propostas de prevenção, o número de casos da doença dobre a cada três dias.

O Ministério da Saúde recomenda a redução do contato social o que, consequentemente, reduzirá as chances de transmissão do vírus, que é alta se comparado a outros coronavírus do passado.

Para evitar a proliferação do vírus, siga as recomendações, abaixo:

– Lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.

– O álcool gel também é indicado para higienizar as mãos, e limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc.

– Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies.

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante.

– Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo

– Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

– Evitar contato próximo com pessoas doentes.

– Ficar em casa quando estiver doente.

– Para a higienização das louças e roupas, recomenda-se a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos.

– É importante separar roupas e roupas de cama de pessoas infectadas para que seja feita a higienização à parte. Caso não haja a possibilidade de fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar.

– As máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus.

– É importante que as pessoas comprem antecipadamente e tenham em suas residências medicamentos para a redução da febre, controle da tosse, como xaropes e pastilhas, além de medicamentos de uso contínuo.

– Produtos de higiene também devem ser comprados e armazenados como uma medida de prevenção.

– No caso das crianças, recomenda-se que os pais ou responsáveis, adquiram fraldas e outro produtos em uma maior quantidade para que se evite aglomerações em supermercados e farmácias.

– Para os serviços públicos e privados, é indicado que disponibilizem locais para que os trabalhadores lavem as mãos com frequência, álcool em gel 70% e toalhas de papel descartáveis.

– A vacina contra a gripe também é recomendada e a Campanha Nacional de Vacinação terá início no dia 23 de março, quando idosos e profissionais de saúde terão prioridade para se vacinarem. A vacina contra a influenza garante proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus.

– Reuniões devem ser realizadas virtualmente, viagens não essenciais adiadas/canceladas e  quando possível, realizar o trabalho de casa (home office).

– Adotar horários alternativos para evitar períodos de pico, com aglomeração de pessoas, para fazer as compras e utilizar o transporte público.

– Quanto à frequência nas academias, a orientação é de optar por se exercitar ao ar livre em vez de fazer aulas de ginástica em locais fechados.

Muitas dessas medidas são recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e foram – e estão – sendo utilizadas nos países em que se encontram em surto para diminuir a transmissão dos vírus. O que não queremos é chegar ao nível da Itália e por isso é importante se antecipar.

A recomendação é tomar os cuidados necessários e manter as atividades econômicas.

 

Fonte: Ministério da Saúde /  www.saude.gov.br/coronavirus